Surpresa: Linfoma de Hodgkin!

Untitled

    antes        –        durante      –      depois

Era uma vez uma menininha que passou a vida sofrendo bullying, teve problemas em casa com os pais, sofreu o pão que o diabo amassou e que aos 18 anos conseguiu o equilíbrio na vida e a partir dai viveu até bem. Fazia uma faculdade boa, conseguindo levar as cadeiras difíceis e amando a área da saúde, tinha o namorado do lado (morando junto), seu cachorrinho amado do lado também, enfim…tudo estava certo. Assim foi até os 21 aninhos dela. 21 hein, idade boa, tudo começando, maravilha. Só que não…

Comecei a sentir umas bolinhas no meu pescoço (não doíam) que só iam aumentando com o tempo. Achei que fosse normal, afinal até um dente inflamado faz com que as glândulas inchem né. Porém surgiu uma coceira infernal no interior das minha coxas, tipo era algo incontrolável e insuportável. Fui em dermatologistas e todos diziam que era micose e passavam vários remédios que só pioravam a situação, chegando a ficar em carne viva. Imagina o sofrimento de andar…a coxa passando pela outra só que em carne viva. Ia no céu e voltava de dor.

Então fui na minha ginecologista (linda e amada que cuida de mim desde os 15 anos até hoje) e me examinando achou estranho meus nódulos do pescoço e me passou uma ultrassom. Resultado do exame: inúmeros nódulos de aparência duvidosa. E foi ai então que começou minha saga. Ela me encaminhou para um hematologista. Fomos em um Dr que não lembro o nome, mas lembro muito bem a forma que ele tratou a gente. Chegamos lá, eu e minha mãe, as duas assustadas e ele só com a ultrassom, não pediu exame algum, nem de sangue, nem biópsia do nódulo…NADA. Falou: Bom você está com câncer e vamos marcar as quimioterapias, ver a questão da radio, senão você vai pra cova etc… Saímos de lá quase correndo e chocadas, OK que ele estava certo, porém não é assim que se fala gente, muito menos sem ter exames pra passar pro paciente. Saí de lá com tanta raiva e com medo que nem ligamos pro que ele disse, já que não tinha exames comprovando nada até lá. (Fiquei sabendo que uns anos depois ele morreu tragicamente por conta de uma cirurgia…pois é)

Então me indicaram o Dr V.H. e ele passou todos os exames necessários pra gente ver como seriam as coisas. Fiz os exames de sangue e a biópsia (pqp senti o médico cortando…trauma de cirurgias acordadas ON..mas AMO o Dr H.) e fui pro RJ, na época visitar meus sogros. 15 dias de espera essa biópsia e a viagem foi uma merda, tanto pelas minhas coxas, quanto pela tensão de saber o resultado. Melhor são as fotos que tenho dessa viagem com o pescoço duro dos pontos da retirada do nódulo kkkk. Ok…continuando.

Assim que chegamos, minha mãe que não é nada boba, foi lá na clínica e o exame ficou pronto antes do prazo. Ela pegou, levou pro médico e escondeu por 1 semana, que foi até quando estava marcada minha consulta com o Dr V.H. Ou seja ela já sabia que eu estava doente e não teve coragem de me contar. Fui encaminhada pra Dra P. que era oncologista que tratava do meu tipo de câncer. Por coincidência a Dra P. tinha sido minha prof na faculdade, então ela sabia que eu entendia os paranauê e foi bem direta dizendo que eu tinha um Linfoma de Hodgkin. Eu estava no estágio IIB por causa dos sintomas lindos, suadeira, as coceiras etc… Engraçado que não tinha chorado em nenhum momento até sair da consulta e entrar no carro, mas também foi a única vez que chorei por estar doente (os restos de choro foram só pelas dores físicas mesmo kkkkk).

Logo marcamos a biópsia óssea (porra pra doer depois) e a colocada do cateter. Coloquei o “port-a-cath” acho que é isso kkkk e lá se foi minha caminhada com essa bolota estranha. Foram marcadas as quimios e o Harmony virou minha segunda casa. E correu tudo bem né? Não mesmo. Fiz minha primeira quimio e voltei pra casa tranquila até, não senti enjoo. Ótimo, mas comecei a sentir uma coisa estranha na boca e foi corroendo meu corpo inteiro que fazia eu me contorcer de dor, não conseguia comer, dormir por uns 3 dias…e isso lógico fodeu com tudo e acabei tendo uma convulsão. Só? Não…no hospital tive mais duas kkkkk assim fiquei internada por 1 semana. O que foi isso? Ah…mucosite, que de acordo com os médicos somente 30% dos pacientes que estão fazendo tratamento conseguem essa proeza e é claro que eu estava no meio disso.

E ai começou a saga de possível epilepsia…sim…tomei por anos remédios pra isso. Alguns ataques noturnos depois e enxaquecas junto, foi reduzindo as chances de acontecer algo e hoje não estou mais nessa porcentagem ai. AINDA BEM NÉ!

Masssss…as 11 sessões seguintes foram tranquilas. Até me acostumei com as furadas no cateter, nem sentia mais. Até porque ainda fiquei quase 5 anos com ele fazendo a limpeza mensal, já estava era dormente a região kkkkk. Então…acabou o tratamento e foi a hora do PET-CT, que não tinha ainda em Fortaleza. Acabamos escolhendo SP (e foi ai que me apaixonei por SP te amo sua linda quero morar em vc) e fiz o exame com direito a ver o cantor dos Titãs no hospital (esqueci o nome mas adoro kkkk). Passeamos pra poder desopilar o nervosismo…e TCHAN hora de pegar o bagulho. Não aguentamos e mandamos por email o resultado pra Dra P. e ela ligou pra mim enquanto a gente estava no táxi e nunca vou esquecer o momento em que ela disse que eu estava curada…eu nem consegui falar, só chorava feito uma doida kkkkkk foi a maior sensação de alívio que eu tive na vida.

Voltamos pra casa e é isso…convivendo com o depois até hoje, mas confesso que tenho medo quando aparece qualquer coisa estranha, mas é isso…tive uma segunda chance e hoje tento aproveitar a vida de uma forma que acho merecedora de uma segunda chance. Hoje continuo em acompanhamento com a Dra P., sempre em alerta. Às vezes me pergunto…porque eu…que não sou nada demais e outras pessoas que estavam em tratamento comigo e eram pessoas fantásticas se foram. Mas ai já são os planos de Deus…espero entender um dia.

Êta desabafão kkkkkkkk se tiver alguém que teve paciência de ler tudo…parabéns e obrigada.

eubjoAté a próxima…

Anúncios

18 respostas em “Surpresa: Linfoma de Hodgkin!

  1. Sabe, querida Andréa, que me identifiquei muito com a sua história. Também sofri bulllying na escola, fui queimado quando tinha 12 anos por uma bomba que jogaram na escola e caiu no meu colo e quando já trabalhava, comecei a sofrer desmaios. As medicações para Narcolepsia fizeram com que surgisse meu Transtorno Bipolar e hoje luto contra ele e mais a minha epilepsia. São vitórias e derrotas, mas eu nunca desisto.
    Você é uma vencedora, saiba disso. E vou estar sempre por aqui, pois adorei seu lindo blog.
    Um grande beijo, querida amiga.
    Alex

    Curtido por 2 pessoas

  2. Eu também sofro muito com bullying na igreja eu e mais 4 amigos somos perseguidos por pessoas desagradáveis e muito chato e ruim… sabe querida você é uma vencedora, uma guerreira eu sei que não é fácil; pois a minha mãe também passou pelas mesmas coisas e eu sei como e tudo isto… Deus nunca nos disse que seria fácil nossa vida aqui, mais que fosse para temos bom ânimo porque ele venceu o mundo… E com Jesus ao nosso lado estamos seguros, e os planos de Deus não tem fim, seja bom ou seja ruim saiba que ele está junto a ti…. E você eu não tenho nem palavras para te descrever eu estou até emocionada! Que Deus continue te abençoando linda! Bijus!!!

    Curtir

  3. Eu entendo o que passou, graças a Deus está bem. Também passei por uma situação, não parecida com a sua, mas preocupante. Há um ano tirei um nódulo de mama, e a trajetória dos exames iniciais até a cirurgia final foi cruel, muita expectativa ruim, um medo terrível do pior, sem contar o contato com tantas pessoas doentes que lutavam incansavelmente pela vida, eu sofria junto a dor de cada uma delas. Mas graças a Deus fiz a cirurgia e o resultado foi negativo pra câncer, era apenas uma displasia benigna. Agradeço a Deus por isso e peço que alivie a dor daqueles que lutam contra esse mal, pois sei que é uma luta difícil e cruel, que Ele continue te abençoando. Beijos!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Déa, eu chorei lendo seu texto. Eu chorei por sua força, pela dificuldade que você passou. (Minha Síndrome do Pânico me faz ficar muito sensível às notícias de doenças, e eu ainda sou hipocrondríaca, vou no médico por qualquer coisinha estranha que eu sinto.) E ver alguém passar por isso tudo e superar dá um fôlego muito bom.
    Mostra também como temos que encarar a vida de forma positiva, pois já basta certas porradas que sofremos.
    Parabéns!
    Beijos,
    Luh.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s