Vivendo com a Intolerância à Lactose!

IAL
Olá meus amores!!! Tudo bem por ai?! 😉
Vim falar hoje sobre um problema que me persegue faz uns 4 anos. A linda da Intolerância à Lactose ou Hipolactasia. Vamos lá conversar um pouco sobre ela.

Primeiro de tudo, o que é isso? Bom…nada mais é do que a incapacidade parcial ou completa de digerir o açúcar existente no leite e seus derivados. Ela ocorre quando o organismo não produz, ou produz em quantidade insuficiente, uma enzima digestiva chamada lactase, que quebra e decompõe a lactose, ou seja, o açúcar do leite.

 Como é feito o diagnóstico? Além da avaliação clínica, o diagnóstico pode contar com três exames específicos: teste de intolerância à lactose, teste de hidrogênio na respiração e teste de acidez nas fezes.

O que acontece com quem tem? Essa é a pior parte…como consequência, essa substância chega ao intestino grosso inalterada. Ali, ela se acumula e é fermentada por bactérias que fabricam ácido lático e gases, promovem maior retenção de água e o aparecimento de diarreias e cólicas. Ou seja, vivemos dias de Rei e Rainha kkkkkk! Os sintomas variam de acordo com a maior ou menor quantidade de leite e derivados ingeridos. Conheço várias pessoas que passam por esse problema também e os sintomas variam, às vezes diarreia como pode chegar a ficar um tempo com prisão de ventre também. Eu para completar, tenho bastante enjoo e dor no estômago. Os sintomas melhoram com a interrupção do consumo de produtos lácteos. Confesso que não consigo fazer isso, meu médico falou que meu nível era altíssimo e que eu não devia nem passar perto de uma vaca kkkkk mas é muito difícil gente…eu amo leite e tudo que leva ele. Eles costumam surgir minutos ou horas depois da ingestão de leite in natura, de seus derivados (queijos, manteiga, creme de leite, leite condensado, requeijão, etc.) ou de alimentos que contêm leite em sua composição (sorvetes, cremes, mingaus, pudins, bolos, etc.). Não é nada bonito gente!

Pesquisas mostram que 70% dos brasileiros apresentam algum grau de intolerância à lactose, que pode ser leve, moderado ou grave, segundo o tipo de deficiência apresentada.

Tipos

1. Deficiência congênita – por um problema genético, a criança nasce sem condições de produzir lactase (forma rara, mas crônica);
2. Deficiência primária – diminuição natural e progressiva na produção de lactase a partir da adolescência e até o fim da vida (forma mais comum); A minha premiada!
3. Deficiência secundária – a produção de lactase é afetada por doenças  intestinais, como diarreias, síndrome do intestino irritável, doença de Crohn, doença celíaca, ou alergia à proteína do leite, por exemplo. Nesses casos, a intolerância pode ser temporária e desaparecer com o controle da doença de base.

E quanto ao tratamento? No início, a proposta é suspender a ingestão de leite e derivados da dieta a fim de promover o alívio dos sintomas. Depois, esses alimentos devem ser reintroduzidos aos poucos até identificar a quantidade máxima que o organismo suporta sem manifestar sintomas adversos. Essa conduta terapêutica tem como objetivo manter a oferta de cálcio na alimentação, nutriente que, junto com a vitamina D, é indispensável para a formação de massa óssea saudável. Suplementos com lactase e leites modificados com baixo teor de lactose são úteis para manter o aporte de cálcio, quando a quantidade de leite ingerido for insuficiente. Eu uso o Lactaid (quando lembro kkkk) para me ajudar na digestão dos alimentos.

Recomendações

Portadores de intolerância à lactose precisam saber que:

  • na medida do possível, o leite não deve ser totalmente abolido da dieta;
  • é importante ler não só os rótulos dos alimentos para saber qual é a composição do produto, mas também a bula dos remédios, porque vários deles incluem lactose em sua fórmula;
  • leite de soja, de arroz, de aveia não contém lactose;
  • verduras de folhas verdes, como brócolis, couves, agrião, couve-flor, espinafre, assim como  feijão, ervilhas, tofu, salmão, sardinha, mariscos, amêndoas, nozes, gergelim, certos temperos (manjericão, orégano, alecrim, salsa) e ovos também funcionam como fontes de cálcio;
  • comer de tudo um pouco é a melhor forma de manter o suporte de nutrientes necessários para a saúde e bem-estar do organismo.

Vocês conhecem a marca de produtos sem lactose Piracanjuba? É minha favorita, possui muitos produtos deliciosos. AMO. Uso o leite, creme de leite, leite condensado, etc. Vale a pena experimentar.

Ahhhh um site muito bom que me ajuda bastante é o Sem Lactose!

Então é isso amores! Alguém aqui passa por isso também? Tem alguma marca boa de produtos pra me indicar? Conta aqui pra mim… 😉

eubjoAté a próxima!

Fonte: Dr. Drauzio

Anúncios

6 respostas em “Vivendo com a Intolerância à Lactose!

  1. Oi Dea, perfeito o seu post! Eu também tenho intolerância à lactose( amoooo leite, queijos, etc) , mas ainda posso passar perto de alguma vaquinha, que sem problemas… kkkk Outro sintoma comum , pelo menos pra mim, são as ‘flatulências’, mas conhecidas como gases. É complicado, rssss. Mas eu , como você, uso o lactaid e o leite ‘sem lactose’, que me salvam sempre. Gosto do leite da Molico, pois já vem com a vitamina D. Beijins Claudia

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s